Topo

Rua Eduardo Tomanik, 900 - sala 86 - Comercial Unit Concept

(11) 4806-0007 | Chácara Urbana - CEP 13209-090 - Jundiaí/SP

DR. CARLOS ALVES

Dr. Carlos Eduardo Alves


  • Membro Titular SBOT (Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia)
  • Membro Titular SBCOC (Sociedade Brasileira de Cirurgia do Ombro e Cotovelo)
  • Membro Titular SLAHOC (Sociedad Latinoamericana de Hombro y Codo)
  • Membro Titular AAOS (American Academy of Ortopaedic Surgeons)

Formação profissional:

Especialização em Ombro e cotovelo: Hospital Ortopédico – Belo Horizonte – MG, (2006-2007), com Dr. Glaydson Godinho

Residência médica:

Centro Médico Campinas – SP (2002-2004)

Graduação:

Universidade Gama Filho – RJ (1995-2001)

Cursos no exterior:

  • 2009 – Advanced Course on Shoulder Arthroscopy, Val d’Isere, France
  • 2010 – Advanced Surgical Treatment of Shoulder Instability, Rotador Cuff Tears, SLAP and Bankart repairs,
    Acromioplasty and Biceps Tenodesis Impingement Syndrome at the Arthrex Learning Center in Naples, Fl, USA
  • 2011 – San Diego Shoulder Institute, San Diego, CA, USA
  • 2013 – Brazilian Shoulder Surgical Skills Workshop, Warsaw, IN, USA
  • 2013 – Brazilian Shoulder Arthroscopy Workshop ConMed Linvatec Center for Orthopaedic Education Largo, Fl, USA

PATOLOGIAS

Doenças que afetam os ossos e as articulações do nosso corpo

As articulações estão em constante uso e são frequentemente sujeitas a pequenos traumas, como excesso de peso ou esforço repetitivo. Além disso, estamos sujeitos a doenças e inflamações nessas áreas. Conheça algumas dessas patologias clicando nas imagens:

CONSULTÓRIO

PERGUNTAS FREQUENTES

  1. Como identifico o que está gerando dor no ombro?

    Frequentemente o paciente chega ao consultório com queixa de dores no ombro. Essas dores podem ter várias etiologias: desde dores musculares e até mesmo lesões complexas. É preciso saber a origem da dor, a localização e o fator desencadeante, quanto tempo existe essa dor, a etiologia (traumática ou não), se houve algum tratamento prévio. Todas essas informações são úteis para que o médico possa chegar a um diagnóstico preciso.

    De acordo com as informações fornecidas pelo paciente, o ESPECIALISTA pode identificar desde uma lesão muscular superficial (mialgia), como tendinites, bursites, síndrome do impacto, lesão de manguito rotador, instabilidade, e a partir desse diagnóstico, realizar o tratamento adequado, seja ele cirúrgico ou não.

    Por isso, é importante fazer uma consulta com ESPECIALISTA para a identificação da lesão e o tratamento correto.

  2. O que é Artroscopia?

    Grande parte das lesões do ombro são tratadas com a técnica cirúrgica minimamente invasiva chamada de ARTROSCOPIA.

    A ARTROSCOPIA permite que o cirurgião faça reparos de lesões nos tendões, nos ligamentos e até mesmo na cartilagem do ombro.

    Através de uma câmera colocada na articulação do ombro e utilizando os instrumentos descartáveis (cânulas, lâminas de shaver, radiofrequência, bomba de infusão) é possível visualizar e reparar grande parte das lesões existentes no ombro, proporcionando menor tempo de internação e de recuperação do paciente.

    Os casos onde o tratamento cirúrgico artroscópico não é indicado, como fraturas e próteses, devem ser realizados à cirurgia aberta.

    Quando o tratamento cirúrgico for indicado, seja artroscópico ou aberto, procure esclarecer todas as suas dúvidas com o ESPECIALISTA.

  3. Quais são os tipos de lesões esportivas mais frequentes?

    Quando se fala em lesões na articulação do ombro, os esportes envolvidos geralmente são os de arremesso. Dentre eles destacamos o basquete, handebol, natação, vôlei, beisebol, tênis, entre outros.

    As lesões mais frequentes são as musculares, que vão desde inflamações (mialgias) ou contraturas, até lesões tendinosas, capsulares e/ou ósseas.

    Os processos inflamatórios nos tendões (tendinopatias) são causas de dor e limitação de atividade física, sendo o tendão supraespinhal a estrutura acometida com mais frequência.

    As lesões ligamentares tem sua maior prevalência relacionada com esportes que envolvem movimentos de rotação (interna ou externa), sendo a instabilidade anterior a mais frequente, com desinserção do labrum ântero-inferior, conhecida como lesão de Bankart. A lesão desse ligamento causa sensação de instabilidade e insegurança, com o impedimento à prática esportiva normal. Sem dúvida, o bom condicionamento físico, o controle da quantidade de atividade física levada ao atleta, associada as condições ideais para prática esportiva, diminuem e previnem o número de lesões nos esportistas em geral.

  4. O que é Artrose?

    Artrose é a doença articular mais comum entre os seres humanos, tendo se tornado uma causa muito importante de incapacidade física em idosos. As articulações mais frequentemente acometidas são os joelhos, quadris, mãos e a coluna. Entre os sintomas mais frequentes estão dor articular e dificuldade para os movimentos. Os sintomas e a evolução da doença variam muito de pessoa para pessoa mas, em geral, é uma doença lentamente progressiva. O tratamento e a prevenção da artrose depende de cada caso e inclui medicamentos, atividades físicas e reabilitação motora e, eventualmente, correções cirúrgicas.

  5. O que é a Epicondilite Lateral? Por que ela ocorre?

    A epicondilite é uma inflamação localizada na parte muscular do cotovelo, causada por um excesso de esforço da musculatura envolvida. Os sintomas são dor e desconforto na parte lateral do cotovelo, que piora com o esforço da mão e dedos. Na epicondilite lateral, a musculatura envolvida é a extensora do punho e dedos, mas que tem sua origem no cotovelo. Estas lesões acontecem devido aos movimentos repetitivos das mãos e punhos (não dos cotovelos), atividades esportivas e falta de alongamento muscular. A epicondilite lateral também é chamada de "cotovelo de tenista", devido à alta incidência em praticantes deste esporte.

    O diagnóstico é simples, geralmente realizado somente com o exame clínico do médico. Outros exames que podem auxiliar são o Ultrassom e a Ressonância Magnética. O tratamento é realizado inicialmente com medicamentos antiinflamatórios e repouso da mão e dedos. Caso isso não seja suficiente, pode ser realizada a imobilização do punho e dedos, infiltrações locais e raramente a cirurgia é necessária.

  6. O que é a Luxação do ombro?

    O termo luxação refere-se à situação em que uma articulação é deslocada (sai do lugar), gerando dor intensa e deformidade. A luxação do ombro é uma situação frequente em acidentes de moto e bicicleta e principalmente em traumatismos esportivos. Ocorre quando há uma abdução e rotação externa abruptas do ombro (posição semelhante à de um preparo para um arremesso), fazendo com que o úmero (osso do braço) seja deslocado de dentro da articulação do ombro.

    O sintoma mais importante é a dor, associada à incapacidade de sustentação do membro superior. O tratamento da luxação é a sua redução (colocar no lugar). Isso deve sempre ser realizado em ambiente hospitalar e por um médico ortopedista. Existem várias técnicas para a redução, sendo a mais utilizada a tração, onde é colocado um lençol embaixo da axila e o médico puxa o braço do paciente pela mão.

  7. Por quais motivos podem acontecer fraturas dos ossos do cotovelo?

    As fraturas podem acontecer pelos seguintes fatores:

    • - Quedas;
    • - Traumas de alta energia;
    • - Atropelamentos;
    • - Práticas de esportes;
    • - Acidentes de carro, motocicleta ou bicicleta;

    Quando a fratura é diagnosticada, é necessário realizar a imobilização do osso afetado por meio de talas e/ou gesso. Os sintomas de um osso do cotovelo fraturado são:

    • - Dor intensa no local;
    • - Inchaço;
    • - Hematomas;
    • - Incapacidade de movimentação;
    • - Dormência;

    O tratamento para reestruturação dos movimentos e articulações, seja após a retirada do gesso ou no pós-operatório, deve envolver o trabalho da fisioterapia ortopédica, que, por meio de exercícios, alongamentos, e muitas vezes com auxílio de aparelhos e equipamentos irão possibilitar a cicatrização, ganho de força muscular, possibilitar a flexibilidade dos movimentos naturais e aliviar possíveis dores. O objetivo da fisioterapia ortopédica em pacientes que tiveram o cotovelo fraturado é o de possibilitar seu retorno às atividades diárias com qualidade de vida.

Outras dúvidas? Fale Conosco

MEDICINA ESPORTIVA

Muitos atletas apresentam dores no ombro. Em sua maioria, os atletas de arremesso, como o de basquete, natação, vôlei, beisebol, tênis, podem apresentar uma lesão ligamentar chamada de SLAP, sigla em inglês que significa Superior Labrum Antero Posterior Lesion, onde ocorre uma desinserção do ligamento glenoumeral em sua porção anterosuperior, na inserção do tendão da cabeça longa do bíceps, provocando dor e limitação funcional. Devido ao excesso de uso da articulação do ombro, esses atletas apresentam lesões típicas que podem ser traumáticas, como instabilidades, lesões de manguito rotador, lesões capsulares, nervosas, ou até mesmo degenerativas (artroses). Na articulação do cotovelo, muitos tenistas apresentam lesões como a epicondilite lateral do cotovelo (tennis elbow), fator limitante da prática do esporte. No atleta praticante de golfe, a queixa de dor no cotovelo ocorre na região medial, conhecida como epicondilite medial de cotovelo.

É preciso que o ESPECIALISTA faça o diagnóstico correto, e, se houver necessidade, complementar com algum exame de imagem (ultrassonografia, tomografia computadorizada ou ressonância magnética) para que o tratamento (cirúrgico ou não) seja eficaz e o atleta volte a praticar o esporte.

AGENDAMENTO

Para agendamento de consulta, escolha o melhor dia e horário abaixo.

IMPORTANTE: Nossa equipe entrará em contato para confirmar a disponibilidade referente a sua solicitação.

Horários das 09h00 às 18h00

Todos os campos são obrigatórios.

CONTATO

Para mais informações entre em contato com o Dr. Carlos Eduardo Alves pelo formulário abaixo.


Rua Eduardo Tomanik, 900 - sala 86 - Comercial Unit Concept

(11) 4806-0007 | Chácara Urbana - CEP 13209-090


Desenvolvido por Projecto Comunicação.